sexta-feira, 29 de abril de 2011

Niley - Hero mini-fic dedicada à Gigi





Miley On:

Eu tinha medo, muito medo, medo do que ele me pudesse fazer, medo que estar em casa sozinha com ele, medo dele.
Eu até podia estar a exagerar, eu sei. Mas ele estava estranho comigo, desde que eu fizera 15 anos, ele olhava para mim diferente, aquele olhar maligno, nao era a mesma forma como ele olhava para o Nick.
Eu depois de ficar algum tempo a pensar, decidi ser forte, ele provavelmente nao me ia fazer nada, porque ele havia de fazer? ele gostava de mim, eu acho.
Fui até à cozinha, beber um copo de leite, estava a mexer no meu frigorifico, quando sinto alguem me tocar. Era ELE.

Pai: Entao, o que voce está fazendo?
Miley:Eu só vim buscar o copo de leite, já vou para a cama, papai.
Pai: Já? Mas ainda sao 20:00h.
Miley: Eu tenho sono

Eu sei, nao sou boa a mentir, mas eu estava assustada.

Pai:Filha, venha comigo, quero mostrar algo para voce.

Mesmo aterrorizada, eu segui-o, ele levou-me para o seu quarto.
Sim, o quarto dos meus pais, o que eu fazia ali?
Num segundo ele estava olhando para o teto, e no segundo seguinte, ele me agarrou, com muita força e me levou para a a cama.

Miley: Me larga

Eu disse irritada.
Ele nao ligou, esta consumido por aquele olhar maligno, e eu sabia o que ele queria, sabia de mais, e eu estava cheia de medo, medo como nunca tinha tido.
Entao ele começou a tocar-me, e ele gritei para ele me soltar.
Eu percorreu as minhas pernas, beijou os meus labios, e depois o meu pescoço.
Ele chorava, gritava, pedia, implurava e me mexia tanto, e tentava empurra ele com todas as minhas forças, mas ele era um homem forte de 40 e tal anos, e eu era só uma garotinha de 15 anos.

Miley:ME SOLTA, SEU ESTUPOR.

Quando eu disse isso, ele me deu uma tapa, eu fiquei com a bochecha machucada.
Ele continou me beijando, e acabou por rasgar a minha bulsa.
Eu me sentia horrivel, eu tinha nojo dele, e eu gritava com todas as minhas forças.
Ele beijou meus seios, e eu so queria ter tempo de pará-lo antes de ele tirar meu sutiã.
Com um resto das minhas forças dei-lhe um pontapé(naquele sitio, estao a ver?)
Ele ficou a agarrar naquilo, enquanto eu tentei fugir, ja tinha saido do quarto dele, e estava no corredor, mas sento entao alguem me puxar pelo cabelo e me levar de novo para a cama, ele me bateu com toda a sua força, e eu quase desmaiei. Mas ele nao desistiu e continuou, até que algo aconteceu...

Miley Off:

Nick On:

Eu ia sair do o Zac e o Taylor, ja estava no carro deles e ia a caminho do bar, quando me lembrei que tinha deixado a carteira em casa. Entao avisei os meus amigos, e voltamos para tras.
Entrei em casa, e logo ouvi um barulho, parecia alguem a gritar e a chorar, corri para o andar de cima, vinha do quarto dos meus pais.
A porta estava encostada, e quando a abri, o meu corpo paralisou, e eu assisti á cena mais triste e nojenta da minha vida, o meu pai estava...estava em cima da minha irmã...e a tentar...eu nao consigo falar sequer o que ele queria fazer, e como é normal ela gritava, e só sei que corri até eles, tirei o meu pai de cima dela e acertei-lhe um murro no nariz.
Ele ficou a sangrar, eu olhei para a Miley, ela estava horrivel, chorava muito, tinha o cabelo todo bagunçado, as calças rasgadas, ela estava só de sutiã e a sua camisa estava no chao, como é obvio, rasgada.
No seu rosto eu via o medo, o pânico, o terror e o nojo que ela estava sentindo.
Mas tambem via a felicidade que ela sentia por ver que nao estava só, e que eu a tinha salvo.
Olhei para o meu pai, ele acabara de se levar, e olhar para mim com o ódio no olhar, um ódio que eu nunca tinha visto nos seus olhos.

Nick: O que vc pensa que estava a fazer?
Pai: SAIA DO MEU QUARTO, VC NAO TEM NADA HAVER COM ISSO!
Nick:VC TAVA A TENTAR ABUSAR DA MINHA IRMÃ, EU TENHO TUDO HAVER COM ISSO!
Pai: ELA NAO É SUA IRMÃ!

Eu sabia disso, eu era adotado, mas desde sempre eles me trataram como filho deles, sempre me senti filho deles. E agora meu pai dizia que eu nao era seu filho, era verdade, mas nao dizer que ele possa fazer isso à Miley.

Nick:Nao interessa,vc nao pode fazer isso à Miley!
Pai: Posso sim e ninguém vai-me impedir.

Ele veio para cima de mim e começamos a lutar, como é normal, ele era mais forte que eu.
A Miley tambem ajudou e lutou contra o meu pai, acabei por lhe acertar no olho, e ele caiu no chao machucado.
Eu sei que ele é meu pai e eu nao devia ter feito aquilo, mas droga, o que ele fez é monstruoso.

Miley: Vamos!
Nick: Para onde?
Miley: Nao sei, só quero ir embora daqui!

Fugimos os dois daqui e corremos muito até nao podermos mais, já estava de noite e por isso nao podemos ir muito longe, paramos numa gasolina(sabem aquele sitio onde se mete gasolina nos carros xDD talvez saibam mas nao sei se é assim que se diz no brasil), eu fui comprar um pacote de batatas fritas, e ela ficou na rua à minha espera, nao estava lá ninguem, so eu, ela e a senhora que trabalhava na gasolina.
Cheguei ao pé dela, ela estava a chorar.

Nick:Nao chore, já passou.

Entao reparei que ela nao tinha nada vestido, e como já eram 21:30 h estava frio.
Tirei o meu casaco e dei-lhe para ela vestir.
Ela sorriu para mim, com aquele sorriso perfeito que ela tem, entao me senti tonto, como se tudo estivesse a andar à roda.
Ela vestiu o casaco e voltou a sorrir para mim.

Miley: Obrigada

Eu sorri para ela e depois pensei se devia falar naquilo ou nao.

Nick: O que aconteceu Miley?Porque papai fez aquilo? Eu sei que vc nao quer falar disso, mas eu preciso saber.

Ela ficou triste e deixou cairem mais algumas lágrimas, depois se virou para mim e começou a contar.

Miley: Depois que fiz 15 anos, papai ficou estranho comigo, ele sempre ficava a olhar para mim com aquele olhar maligno, e eu sempre fiquei confusa e assustada, houve algumas vezes que eu tava a fazer alguma coisa, e ele chegava e apalpava minha bunda- ela ficou com uma cara de nojo, mas eu fiz sinal para ela continuar- quando eu ando com um decote ele fica a olhar para os meus seios, uma vez estava no quarto, e ele entrou lá e quando me viu nua, quando saiu do banho de toalha, ele sempre fica me olhando estranho-entao reparei que ela começava a chorar.

Nick: Se nao quer falar, nao precisa.
Miley: Eu tenho de falar, falar é boa, e tira este peso de cima de mim.
Miley: Na noite passada ele me agarrou e beijou, mas ouviu os passos da mamãe e me mandou embora. Estava manha, quando estava na sala vendo tv, ele passou por mim e me disso ao ouvido: Hoje te espero no meu quarto, vc vai ter a melhor noite da sua vida. Eu fiquei com muito medo, por isso que quando vc ia embora te implurei para nao ir, ou para me deixar e com vc.

Eu olhei para ela, eu estava em choque, ela tinha sofrido aquilo tudo, e nunca ninguem tinha percebido.
Entao ela sorriu para mim, e embora confuso, sorri para ela.

Miley:Vc é o meu heroi! Se nao fosse vc...
Nick:Ainda bem que esqueci da carteira em cada.
Sorrimos os dois ao mesmo tempo e eu fiquei ainda mais confuso, e nao sei porquê, eu me aproximei dela, entao senti o meu coraçao bater muito, senti o que nunca tinha sentido antes, senti que algo estava a nascer, aqui e comigo e com ela, e nao era apenas uma amizade, ou amor de irmao, era algo mais, algo mais forte, algo que supera tudo, algo que muda tudo, algo bom, muito bom.

Miley: Eu nao quero voltar!
Nick: Vc tem de contar a mamãe, tem de contar à policia, papai tem de ser preso!
Miley: Nao! Eu nao quero que ninguem saiba! Tenho medo e vergonha!
Nick: Eu vou-te proteger sempre! Vc comigo está segura!Eu nunca vou deixar que aquilo aconteça com vc

Entao nos abraçamos, um abraço forte e quente, e ela deitou-se no meu colo.

Miley: Vc é diferente!
Nick:Diferente?
Miley: Vc nao é como os outros garotos, vc é especial!
Nick: Isso é porque sou seu irmao!
Miley: Vc nao é meu irmao...

Eu me senti mal, nem ela me considerava seu irmao.

Miley: Eu sempre te considerei irmao, mas agora...vc é algo mais, vc é o meu salvador, o meu heroi!
Sorrimos e acabamos por adormecer daquele dia que sem duvida tinha sido horrivel, mas que tinha acabado bem.
_______________________________________________________________

Semanas se passaram, eu e Miley tinhamos fugido de casa e prometemos nunca mais voltar, sabiamos que tinhamos a policia a trás de nos, afinal eu só tinha 17 anos e ela 15 e que com certeza a nossa mãe estava preocupada, mas eu tinha feito uma promessa à Miley, e eu nunca mais a levaria para aquela casa, ela nunca mais teria de passar por aquilo.
Passavamos os dias a cantar nas ruas e a pedir dinheiro, como dois pobres, mas era divertido, principalmente quando as pessoas paravam para ouvirmos cantar, eu nunca gostei de cantar, mas cantar com ela era diferente, era tao mágico!
A nossa vida nao era fácil, viviamos em pensões ou motais e sempre viamos a policia por perto, fugiamos!
Eramos dois fugitivos, que nao tinham cometido nenhum crime, mas que tinhamos de fugir, para o nosso bem, para o bem dela.
Eu nao sei porquê, mas eu preocupava-me mais com ela do que comigo próprio, ela era tao frágil, doce, delicada e eu sabia que a tinha de proteger daquele monstro que só lhe queria fazer mal.
Um dia quando estavamos a chegar à pensao, vimos um carro da policia estacionado mesmo à frente da nossa casa, eram 22:25 h.

Nick:Temos de fugir!
Miley: Pois, é melhor nos despacharmos.

Começamos a correr, mas um carro da policia vinha a trás de nos, nao acredito, eles reconheceram-nos.
Ficamos num berro sem saida e paramos de correr, entao um policial saiu do carro.

Policial: Sao a Miley e o Nicholas Cyurs?

Nao respondemos, e percebi logo que ele sabia a resposta.

Policial: Podem entrar no carro, vamos levar voces de novo para casa.

Olhei para Miley e senti o que ela sentiu, o pesadelo ia voltar.

Nick Off:

Miley On:

Depois de semanas a fugir, fomos apanhados e vamos de novo para casa, o pesadelo ainda nao acabou.
Depois de uma hora dentro do carro, chegamos a casa.
Os meus pais encontravam-se à porta e logo que o carro parou, correram para nos abraçar.
A minha mae abraçou a mim e depois ao Nick, e o meu pai fez o mesmo, ele olhou para mim com uma cara de alegria, ele parecia o mesmo pai de sempre, nao aquele monstro que eu tinha conhecido naquela noite.
Fomos para dentro, claro que fizeram muitas perguntas e acabei por dizer que as coisas nao estavam a correr bem na escola, e que fugi e o Nick foi atras de mim para tentar me trazer de volta, embora acho que a minha mae nao tenha acreditado.
O tempo passou, já tinha feito um mês que tinhamos voltado para casa, eu acho que as coisas voltaram a ser como antes, o meu pai tratava-me como um pai normal trata uma filha, nao contei nada à minha mae...Só uma coisa tinha mudado, eu e Nick eramos inseparáveis, estavamos sempre juntos, ele protegia-me ele era querido, ele era fofo, ele era tudo o que eu precisava, e eu agora sentia por ele o que nunca tinha sentido por ninguém, mas ele é meu irmao, nao irmao de sangue, mas irmao do coraçao, e por isso tentava esconder os meus sentimentos.
Eram 14:40, estava em casa sozinha, quando oiço a porta a abrir e depois a fechar, o Nick devia ter chegado, vou até á porta e nao vejo ninguém, mas alguem agarrou-me por trás, e meteu-me um pano no nariz, depois disso nao vi, ouvi, falei ou senti mais nada.

Miley Off:

Nick On:

Estava no mercado com a mãe, o pai tinha ido dito que estava com pressa porque tinha ido ter com uma amigo, mas eu e a minha mae já estavamos a acabar as compras, eu estava com pressa para ir para casa, 1º porque nao queria deixar a Miley sozinha, mesmo que o meu pai nao estivesse lá, 2º Queria vê-la, nao consigo estar muito tempo sem ela e 3º Queria jogar o meu jogo novo.
Por essas 3 razões, estava sempre a dizer para a minha mãe fazer tudo rápido.
Chegamos a casa uns 10 minutos depois do meu pai ter saído, e nao ouvimos nada, estranho, a Miley devia estar em casa.

Mãe: Vou ao quarto, já volto!

Eu fiquei na cozinha a arrumar as compras, quando me assusto com um grito que oiço, parecia vir do quarto dos meus pais, corro para lá, vejo a minha mãe em frente à porta, a olhar para o quarto com uma cara de medo junto com surpresa, quando olho para o quarto, vejo o meu pai por cima da Miley, ela estava desmaiada, estava so de roupa interior, calcinha e sutiã.
"Aquele monstro voltou a se aproveitar dela".
O meu pai olhava para nos com uma cara de "fui apanhado, agora o que eu faço".

Mae:Seu Nojento, sai já da minha casa!!!
Nunca vi a minha mae ser violenta, mas ela partiu para cima dele e começou a bater-lhe, eu ajudei ela e levei o meu pai para a rua e fechei a porta na cara dele, depois corremos para ver da Miley, ela estava em cima da cama, desmaiada.

Nick Miley, Miley, acorda!

Eu acudia-a mas ela nao acordou.

Nick: Mae, será que ela...?

Eu disse e algumas lágrimas começaram a cair.

Mae: Nao, aquele monstro deve ter-lhe dado alguma coisa para adormecer.

Eu fiquei a olhar para ela, e senti-me culpado, nunca a devia ter deixado sozinha, eu prometera a ela que aquilo nunca mais ia acontecer, mas voltou a acontecer, ainda bem que chegamos a tempo de impedir que ele fizesse o pior.

Uma hora depois, ela acordou, disse que nao se lembrava de nada e contou à minha mae tudo o que tinha contado a mim, a minha mae ficou em choque e chorou por nao ter conseguido ajudar a Miley, quando ela mais precisava.
Depois ligou à policia e contou tudo, e eles disseram que iam ir atras dele, e prendê-lo, tambem disseram que precisavam que nos passassemos no dia seguinte no posto, para contar-mos melhor o que tinha acontecido.
Umas horas depois, a Miley estava no seu quarto,e nao a queria interromper, mas fui até lá e bati na porta.

Nick: Posso?
Miley: Pode-ela sorriu e eu senti a minha cabeça a girar, aquilo era bom, ela bom estar ao pé dela, era bom sorrir com ela.
Eu me aproximei dela e me sentei na sua cama.
Nick:Me desculpa nao ter tado aqui quando voce precisou, eu faltei á minha promessa.
Miley: Vc nao teve culpa, mas agora vai tudo ficar bem.
Nick: Pois vai, nunca mais vou deixar que ninguem te toque.
Ela sorriu e eu sorri.
Entao sem pensar duas vezes aproximei-me dela, ela fez o mesmo, e tudo aconteceu como nos sonhos, o nossos lábios tocaram-se, e logo que isso aconteceu eu percebi que estava apaixonado por ela.
Os labios dela eram doces e quentes, e eu percorria-os, ela tambem correspondia e eu percebia que ela sentia o mesmo.
Sentia-me o cara mais feliz do mundo.
Aquele era o beijo mais mágico de sempre, o beijo mais apaixonado de sempre, era o beijo.
E nao interessava o que viesse a seguir, porque de uma coisa eu tinha a certeza, eu amava aquela garota.
Aos poucos e poucos fomos-nos afastando, mas os dois com um sorriso nos lábios.

Nick: Eu te amo Miley.
Miley: Eu te amo Nick.
Sorrimos e eu deitei-a na sua cama.
Mas depois arrependi-me

Nick: Me desculpa
Miley: Nao Nick, eu quero.

No meio de muitos beijos apaixonados acabamos por transar, tinha sido a nossa primeira vez e tinha sido mágico, perfeito, eu tinha a certeza que ela era a garota certa para mim, tinha tanta certeza como nunca tinha tido.
Nos eramos só um para sempre.
Ela sorriu para mim.

Miley: Já disse que vc é o meu heroi.
Nick: Já, mas pode dizer de novo
Miley: Vc é o meu HEROI

FIM

Acho que nao ficou muito ruim, que acham...
Gigi, amiga como isso é para si porque sei o quanto ama Niley, quero que diga que achou, sabe que sua opiniao é muito importante!
Beijinhos!

3 comentários:

  1. ADOREEEEEEEY!! Posta mais sobre Nileeeey!!

    *--*

    ResponderEliminar
  2. Heeey vc acaba de ganhar um selinho aqui : http://nileyejemivariashistorias.blogspot.com/2011/05/selinho.html

    ResponderEliminar
  3. que lindo fiquei emocionada com essa historia amei!

    ResponderEliminar